sábado, dezembro 09, 2006

O que fazer com a dor...

... nada melhor que aprender com ela.

Pego nela e vou embora, deixando de pensar como é duro senti-la pensando que de certo fará de mim alguém maior.

Quero deixar de sofrer porque sou esquecida ou adiada e quero muito começar a ser melhor para ser muito desejada, ou para nem fazer falta senti-lo porque em mim já estou completa.

Dia triste este o da ida, com tanta alegria escondida, quem é o aluno afinal que não gosta de aprender a ler ou a contar, para com leituras voar...

Espero tudo o que tiver que esperar por uma pessoa melhor em mim, desculpa-m aquilo que sou eu no fundo não sou ruim.


3 comentários:

Anónimo disse...

Mar Português

O mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos,quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador.
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.



L.F.

Giroflé flé flá disse...

Foi muito importante este comentario... Obrigada

Anónimo disse...

Neste poema de Pessoa, eu gosto muito de: 1) "Tudo vale a pena se a alma não é pequena". Portanto, não importa qué, ni cómo, senao porqué e para qué. 2)"Quem quer passar além do Bojador, tem que passar além da dor" Ser nós proprios, sozinhos ou acompanhados, sempre custa muito, mas tem recompensa imensa: "ser nós proprios" 3)"Deus ao mar o perigo e o abismo deu, mas nele é que espelhou o céu". Isto é metafísico e hermético. A Terra e o universo está feito a imagem do Céu.

Gostei de que te sirva o poema. E ainda bem que espero te servir os meus comentários.

L.F.